11 de nov de 2006

Observações sobre a discussão política brasileira

-não aceitamos a discordância cordial. Pensamos política como se fosse uma relação amigo-inimigo. O "outro lado" é sempre mau, feio, abominável. Tanto é assim que certas críticas são vistas como "verdadeiras" e consideradas "duras demais".

-acreditamos que alguém sempre quer nos ferrar. Quando ouvimos uma opinião distinta, tendemos a pensar "esse sujeito pode até ter razão, mas acho que ele possui algum interesse por trás". As "conspirações" e os "bastidores" abundam o noticiário político.

-sempre esperamos que um candidato livre de defeitos venha a governar o Brasil. Ele seria "dos nossos", e não estaria preso a nenhum "interesse". Seria representante da vontade popular, realizador da justiça universal.